Categorias
O blogue

Medo, muito medo

Ontem, eu pedi demissão da escola onte lecionava. A gente pensa que mandar o trampo ao espaço gerará rebuliço, mas tudo se reunirá à papelada em cima da mesa para ver como ficarão os novos alunos. Burocracia.

Acordei em 29/04/2010 com um telefonema de uma empresa dizendo:

– Você está contratado!

Nunca trabalhei de carteira assinada.

Eles ficaram de enviar um email com a documentação exigida.

Meu cu tá na mão. Experiência nova. Assinatura no documento azul, leitor. assinatura no documento azul que no meu caso é mais branco que bunda de guri albino.

Tenho 10 anos de experiência profissional colhidos em todo tipo de projeto bizarro que o leitor possa imaginar e só agora, o sonho brasileiro.Patrão, pague-me o que eu tenho por direito!

Contudo, veio-me a imagem do Ibmec-MG me tirando emprego porque aindo o devo e eles não me deram o certificado de conclusao de curso porque sou um caloteiro.No mundo burguês social democrata, o termo correto é calote de neguinho safado. Pouco importa que você fique seis anos vivendo de bicos para sobreviver: curso bom é aquele que te fode porque o desemprego existe. Para o bem nascido dono de empresa full of networking, glória; para o fodido que busca uma chance melhor, dor. Libertarismo é pica de rico em cu de pobre. O resto é conversa para boi dormir.

A gente só quer trabalhar para chegar em casa no final do dia, ver a geladeira com as coisas dentro, os carnes mensais pagos e poder ter um amorzinho gostoso com a patroa antes de dormir.

Categorias
O blogue

Chacina virtual

Se pudesse, matararia meus vizinhos, três casas acima. Em feriádos e domingos, eles fazem batucadas e assam suas carnes com suas cervejas cheirando urina.

Queria ver meus filmes ou ler, mas não posso: minha cabeça explode de ódio porque apenas o barulho irritante da ralé movida ao álcool nota o ar. Atualmente, meu primeiro tipo de lixo é o ser humano que bebe. Ex. alcoolatra pode julgar um único tópico e como tal, digo:

– QUEM BEBE É MERDA!

Dai-me a bazuca para torra-los todos, Borg.

Categorias
O blogue

Deus, fazei que eu não tenha de voltar domingo ao inferno de Belo Horizonte.  Por aqui só quero um trampo para cantar de rei.

Cansei da passividade e da falência da capital mineira. Minha vida é esgotada por lá e nada posso fazer a respeito, pois faltam emprego, perspectiva, carinho e conforto; sobram humilhações destrutivas, pílulas, melâncolia e angustia.

Salvai-me, Senhor!

Categorias
O blogue

Manic Depression

Coube ao Jimi a música sobre o tema. Doencinha danada de ruim. Experiência própria. Dois medicamentos e meio por dia não me deixam mentir.

Se não gostarem, esqueçam da letra e fiquem com um dos melhores riffs de guitarra já feitos. O solo de guitarra, tão fora de moda hoje em dia, é fodão.  Enfim, Jimi Hendrix.

Categorias
O blogue

Humor ruim

O que me deixa realmente puto é acordar na quinta (ou na segunda) e realizar que o volante premiado da MS acumulada é da capital mineira. Só de pensar que o vencedor poder ser um cuzão otário da região Centro-Sul me desanima. Se for, não há escapatória: o mundo é determinista e nada aleatório porque premiar com a boa um já premiado com a condição sócio econômica favorável é a prova mor que as coisas são estupidamente injustas.

Sim, filhinhos: sou da teoria que rico não deve ganhar na loteria monetária.

Depois, descubro donde vem o rabudo.

Agora, médico. A insonia voltou, a dosagem de lítio no sangue é baixa e a vontade de dormir para não mais acordar voltou a rondar a cuca. Vou lá ver onde serei arrumado.

Maldita doença este transtorno.

Categorias
O blogue

Que meda

Chapéu, Esteves sem metafísica, IPs etc

Este sistema, como quase todos, permite a identificação dos IPs. Mas não é só o meu, não. Como sempre, estou pouco me lixando – eu posso porque não tenho mandato público – para o que pensam a meu respeito. Mas alguns vão além da conta e incidem e reiteram em acusações criminosas. É uma rede organizada de difamação. Vão ter de responder por isso. É simples. Esse papo de que o “IP dinâmico não permite isso e aquilo” já é um pouco antigo. Os criminosos deveriam se informar melhor.

Como diria minha pequena:

– É o velho discurso.

O neguinho não tem reconhecimento de IP e ainda se vangloriza que arrumou um: santa falta do que fazer e eu mais ainda por escrever tal assunto.

Depois reclama que a esquerda tá na frente e bla, bla, bla.

Mudaremos agora o padrão ego sem noção por aqui. Não mais será medido em Caetanos, mas em Reinaldos porque camarada que fala sobre IP tem muita coisa para falar.

O graça do IP é a surpresa porque somente trouxa escreve xingamentos neste mundo. Também tem a questão de ameaças estúpidas que parece ser o caso do colunista que colocou rastreador de IP: homem não diz, faz.

Tirando a piada: meu antigo blogue sofreu com uma determinada seita pentecostal porque citei sua líder espiritual ao relaciona-la com insonia e acho que tive problemas com a zelite alterosense porque sabia como era a jornada de um financiador de campanha hoje p$¨*)(%¨. Seja como for, blogue morto. Durmo melhor embora preciso de medicamentos porque descobri o transtorno em grau máximo.  Um dia, escreverei um livro sobre o assunto.

Categorias
O blogue

Mania

Não é hipocondria. Recuso-me ao rotulo embora possua Risperidona e Carbolitium para quatro meses e Citalopram para dois. Qual é? Eu tenho medo de ficar sem meus remedinhos e deixar o bicho papão (no meu caso, é o atual prefeito desta cidade onde vivo) me pegar.

Hoje, minha médica me mandou procurar um terapeuta.

Categorias
O blogue

Videozim

Um vídeo achado no Youtube sobre bipolar. Eu já tentei duas vezes foder com a vida. “Beber até morrer” foi o título da primeira jornada ao inferno e o seguinte se chamou “A Estranha Eleição para a Prefeitura de uma Cidade Roceira, o Vírus no Computador e o Paralelismo dos Nomes”. Foda que surtei legal na segunda crise. Analisando friamente, eu estava num estado de euforia. Agora, tenho meus remedinhos Citalopram, Risperidona, Lithium e, quando o bicho pega, Rivotril. Já falei as merdas sei lá quantas vezes. Fiquem com o vídeo.

Categorias
O blogue

Bolsa Bipolar

Promotora quer cota para negros em desfiles de moda

“O percentual de modelos negros no evento [em torno de 3%] é bem menor que o de brancos. O objetivo da Promotoria é fazer um acordo de inclusão social. Estabelecer um número mínimo de modelos negros a desfilar”, afirma ela.

Francamente, eu não dou a mínima para desfile de moda. Pegaria mal se falasse que minha meia é furada. Não é fashion, mas preguiça absoluta em compra-las. Sou daqueles que preferem usar cuecas e meias oriundas das festas de final de ano. Sempre alguém as dá. Simplifica a vida e evita as filas. Desde que eu me entendo como gente, vovó presenteia os netos com meia e cueca. Ela ainda vive e anualmente levo algumas cuecas para o armário.

Vamos lá: nada de enrolação.

Cota é algo que me preocupa: valoriza o preguiçoso coitadinho em detrimento do talento. Conheço uma patricinha cujo papa é oriundo da raça negra que mama numa bolsa de pesquisa. Moradora de bairro nobre de cidade grande, ela levou a bolsa porque escreveu negra no formulário. Não me perguntem sobre a qualidade da pesquisa. Sinceramente, não sei responder. Também tem minha ex cunhada. Ela mora no bairro mais exclusivo da capital mineira e já disse que consegue uma bolsa na maior facilidade porque papai é afro. Ele odeia que o chamem de tal, mas não vê problema da filha usar a origem para pegar grana pública para alguma coisa.

No final, o negócio favorece quem não precisa do empurrão e manda à merda quem necessita. Triste, muito triste.

Foda-se: procurarei meu congressista. Um pouco complicado porque no último pleito votei em legenda. Se acha-lo, pedirei que ele defenda um projeto de lei para a cota bipolar. Hei, meu transtorno deveria me garantir algo longe da aporrinhação. Contudo, bipolares controlados seriam favorecidos e nós, TB fodidos, estariamos no mesmo limbo que hoje.

Pensando melhor, deixa para lá.

Categorias
O blogue

One man can change the world with a bullet in the right place

Sr. Laurini dá a dica cinematográfica da semana. É, na minha opinião, o melhor filme de todos os tempos juntamente com sua continuação.

E se eu fosse colocar uma bala em algum lugar? Seria no inimigo de número 666 do de alguma forma Sr. Magaldi. Sem nomes, por favor. Minha mente o faz perseguir-me. Seria revolucionário? Acho que sim. Principalmente se bala viesse por volta de 1984. Acho que evitaria muito sofrimento. Todavia, o filme que meu nobre amigo recomenda não é sobre uma bala no lugar certo, mas sobre alguns estudantes revoltados com o sistema. Cliche? Da forma que Lindsay Anderson faz, não.